Dino vai pedir que governo federal adote ações para ajudar trabalhadores afetados pelo coronavírus

O governador do Maranhão participou nesta quarta-feira (25) de uma reunião com governadores de todos os estados e do Distrito Federal por videoconferência, para tratar sobre a pandemia do novo coronavírus.

Governador do Maranhão se manifesta ações debatidas em reunião com governadores do país Após uma reunião realizada com todos os governadores dos estados e do Distrito Federal nesta quarta-feira (25), Flávio Dino (PCdoB), governador do Maranhão, disse que os governadores vão manter as medidas preventivas de combate ao novo coronavírus e pedir que o governo federal conceda ajuda econômica aos trabalhadores mais afetados pela pandemia.

O governador explicou que os estados definiram uma agenda econômica central, com ações voltadas principalmente para os trabalhadores autônomos, desempregados, informais e das micro e pequenas empresas.

As medidas serão apresentadas ao governo pelo presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), que também participou da reunião.

“Reiteramos a apresentação de uma agenda ao governo federal para que haja medidas imediatas em favor sobretudo dos trabalhadores autônomos, desempregados, dos informais, mas também das micro e pequenas empresas.

Tivemos a participação importante do presidente da Câmara, o deputado Rodrigo Maia, que se comprometeu a levar aos deputados federais e senadores, essa pauta econômica para que nós possamos enfrentar a crise sanitária e ao mesmo tempo que há amenização dos efeitos econômicos e o mais importante, rapidamente e possível possamos fazer com que a sociedade volte à normalidade”, afirmou Dino.

Governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), se manifestou sobre as decisões tomadas por governadores em reunião. Divulgação/Governo do Maranhão Flávio Dino reforçou ainda que as orientações preventivas adotadas pelos estados da federação estão de acordo com as diretrizes da Organização Mundial da Saúde (OMS), cientistas e profissionais da saúde.

Para ele, as ações estão sendo tomadas com respaldo e em ‘sintonia’ com o que está sendo definido em outros países afetados pela Covid-19.

“Pactuamos muito claramente que vamos continuar a seguir as orientações e diretrizes emanadas da Organização Mundial da Saúde (OMS) assim como também da comunidade científica, acadêmica e dos próprios profissionais de saúde.

Os governadores todos firmamos essa posição, nenhum governador está agindo sem esse respaldo, muito pelo contrário, são as orientações médicas que tem determinado a atitude preventiva que os governadores têm adotado em sintonia com aquilo que nós estamos assistindo, inclusive, em outros países”, disse.

Serviços são afetados pelo novo coronavírus no Maranhão Coronavírus: o que é preciso saber O que é #FATO ou #FAKE sobre o coronavírus Na terça-feira (24), o governador reagiu ao pronunciamento do presidente Jair Bolsonaro em relação a pandemia do coronavírus e disse que os danos podem ser ‘imprevisíveis e gravíssimos’.

Além disso, Dino reforçou que o estado vai manter todas as ações preventivas de combate a transmissão do novo coronavírus. Até o momento, o Maranhão possui oito casos confirmados do novo coronavírus, sendo todos em São Luís.

No último boletim divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde (SES) na terça-feira (24), o estado possui 508 casos sob suspeita em mais de 45 municípios.

Categoria:Maranhão